• Viva a vida que te faz feliz
  • Viva a vida que te faz feliz


    A vida é muito curta para deixar tudo para depois. Sim, bem direta. Tudo pode mudar num breve piscar de olhos. A realidade como a gente a conhece amanhã pode não ser mais a mesma. Pessoas chegam e se vão, oportunidades costumam ser únicas, uma situação dada como certa, simplesmente, pode perder a constância. A vida é no agora. Naquele anseio, naquele impulso, naquele desejo, naquele exato momento. Apostar as nossas fichas em uma volta do relógio que ainda nem aconteceu mais do que insensatez é pura e simples perda de tempo.

    Estou falando daquele restaurante que você morre de vontade conhecer, mas acha a comida extremamente fora do seu orçamento. O sorvete que você mesmo desejando deixou de comer porque estava frio. O telefonema que você não deu, a mensagem que não foi respondida, a festa que você esperou o ano inteiro, mas não foi porque estava sem companhia, aqueles dez minutos que você espera antes de responder o aplicativo de conversas só para não se mostrar disponível demais para a pessoa do seu interesse. Ponderar demais é jogar para escanteio um monte de pequenas delicadezas que no fim são o que fazem a nossa travessia valer a pena. É preciso se permitir de vez em quando, para não dizer sempre.

    Viver não pode se resumir a pagar contas, resolver problemas e renunciar nossos prazeres. Alguma alegria a gente precisa ter para justificar o estresse do dia a dia. Se faça um grande favor: não repense tanto. Coma a pizza mesmo que tenha que compensar na academia depois, vá para o bar com os amigos mesmo sendo terça-feira e correndo o risco de passar o dia seguinte bocejando de sono, se atrase cinco minutos para o próximo compromisso só para apreciar o pôr do sol do alto daquele mirante. Mais do que pausas, a gente precisa respirar um pouco e abandonar toda a pressão da rotina por uns breves segundos para garantir uma vida longa e um coração saudável. Senão a gente surta.

    Caso contrário, lá na frente, quando a gente olhar para trás e fizer aquela reflexão de praxe, realinhar as metas na virada do ano e pular as sete ondas esperando um milagre, vai se dar conta de que não foi o universo que não respondeu aos nossos pedidos, fomos nós que não soubemos aproveitar os doces acasos afortunados. O instante acontece, nós é que não estamos com os dois pés fincados nele. Claro que é preciso economizar, poupar nossa saúde e pensar com cautela em tempos tão complicados. O transtorno está no fato de que a gente abusa dessas renúncias. Vida é bem-estar, meio termo, felicidade, não pode ser só dor de cabeça.

    Use filtro solar, mas se dê a chance de desfrutar das delícias de um belo dia de sol. Guarde sim aquele restinho de grana no fim do mês para a tatuagem planejada, mas se bateu aquela vontade repentina e incontrolável de comer uma coxinha gourmet ostentação no meio da rua, coma. Satisfaça sua alma, seu sorriso, seus motivos. O depois é só amanhã. Daí a gente corre em dobro, compensa o cansaço dormindo mais cedo ou leva comida de casa mesmo para equilibrar os gastos até o mês seguinte. Para tudo nessa vida dá-se um jeito. Mas, uma oportunidade perdida é para sempre, utilize seu tempo com sabedoria. Não apenas exista: vá menina e vive.

    danielle-assinatura


    " Todos os nossos conteúdos do site Casal Sem Vergonha são protegidos por copyright, o que significa que nenhum texto pode ser usado sem a permissão expressa dos criadores do site, mesmo citando a fonte. "