• Não me procure quando faltar amor
  • Não me procure quando faltar amor


    Não me procure quando o café esfriar, a cama desalinhar ou o suor secar. Quando a minha porta estava aberta para as manhãs você preferiu o silêncio da lanchonete da esquina às risadas no sofá da sala para se esbaldar. Não me ligue quando faltar amor, cuidado e bem querer. Palavra decorada de afeto a gente retribui é na hora, do amanhã ninguém sabe o talvez. Esqueça meu nome quando o coração apertar. “Este celular encontra-se desligado” foi o que ouvi de você quando o meu sentimento precisou falar.

    Não atrase a minha fossa me tirando da prateleira naquela sexta-feira que ninguém mais topou um bar com você. O tempo passou, o relógio avançou, eu também, como uma lagarta em metamorfose, passei. Segui adiante, me dei outras chances, superei. Então não me venha com meias vontades jogando migalhas onde já houve um banquete. Não me chame de moça, de linda, tampouco estranhe o meu sumiço. Você me afastou, então, procurei outro abrigo.

    Não invente uma falsa lembrança e um louco desejo de me ver outra vez. Amor repentino não basta, eu quero a constância de quem sabe o que vem. Nem pense em recitar versos de algum poema que você nem leu o enredo. Palavra solta no vento não vale de nada, escreva sua própria promessa e daí, quem sabe, eu arredo o pé do medo. Não invente desculpas esfarrapadas para o bolo de última hora. Quem quer mesmo, faz, quem não quer, simplesmente vai embora.

    Deixe-me quieta na estante, acumulando as nuances de quem nunca foi prioridade. Porque quando um novo amor me tocar por um instante, aí meu bem, não me venha com saudades. A gente só aceita ser enfeite a tiracolo quando o querer já deixou de ser saudável. Se a vida nos presenteia com reciprocidade de verdade, estar com alguém torna-se novamente agradável. Não tente manchar meu sorriso alimentando borboletas que já se acalmaram. Me deixe viver as novidades, respirar outros ares, mergulhar em olhares que não mendiguei.

    Se a solidão bater à porta lembre-se que um dia a janela de escape fui eu. Não fossem tantas esperas, tantas delongas, hoje, meu amor podia ser seu. Então, me permita ser feliz enquanto me sobram juventude e coragem. Você já me roubou algum tempo, não estrague este momento com a tua malandragem. Quando faltar abraços, cuidados, carinhos, não tire a poeira do inconstante. Queira-me por inteiro, caso contrário, sigamos, andemos, amemos adiante.

     danielle-assinatura


    " Todos os nossos conteúdos do site Casal Sem Vergonha são protegidos por copyright, o que significa que nenhum texto pode ser usado sem a permissão expressa dos criadores do site, mesmo citando a fonte. "