• Sobre ser pontual num mundo atrasado
  • Sobre ser pontual num mundo atrasado


    Quando combino de me encontrar com alguém às oito horas, eu chego às oito horas, ou antes. Afinal, apesar de perceber que o atrasado, neste mundo moderno, tornou-se maioria – e não exceção, como penso que deve ser –, eu sou do tipo que ainda vê a pontualidade como uma demonstração de respeito inviolável. Para mim, a pontualidade é uma das características que precisa estar presente no comportamento dos que querem ser levados a sério, simples assim.

    E, para manter a minha pontualidade – e não deixar ninguém me esperando com cara de Macaulay Culkin esquecido no Natal -, afirmo: continuarei saindo de casa com antecedência que, por muitos – os “umbiguistas”, principalmente -, é chamada de “exagero”. Ou “TOC”. “Pra que sair tão cedo de casa? Relaxa!”, eles me dizem, como se eu fosse um maluco por ter o hábito de sair mais cedo para garantir a minha chegada pontual. Mas eu sei que não louco, nem um pouco, afinal de contas, em uma cidade que costuma travar por pequenas coisas – como faróis quebrados e motos caídas -, a única alternativa que tenho para honrar meus combinados é sair de casa mais cedo. Falando nisso, quer saber como eu calculo a hora que precisarei sair de casa? Penso assim, ó: se nada der errado, demorarei cerca de trinta minutos para chegar até o meu destino. Porém, se chover, eu levarei quarenta minutos. Se chover e rolar uma passeata na Paulista, cinquenta minutos. Se chover, rolar uma passeata na Paulista e o metrô parar de funcionar, sessenta minutos. Sendo assim, sairei de casa oitenta minutos antes do horário que combinei de estar lá. Por quê? Porque é sempre bom deixar uns vinte minutos de gordura para as coisas que não conseguimos prever ou que nos esquecemos, como invasões alienígenas, black fridays e famílias de gansos atravessando a rua.

    Mas sabe o que me deixa ainda mais puto? Gente cujo atraso nada tem a ver com hipóteses óbvias – como enchentes, trânsitos e árvores caídas – displicentemente não levadas em consideração, gente que demora quarenta minutos, no mínimo, para sair de casa, mesmo quando sabe que estamos com o carro estacionado do lado de fora, em uma cidade na qual qualquer paradinha de três minutos no farol já é bem perigosa. Aí você, com o cu mais apertado a cada pessoa que se aproxima do carro, manda uma mensagem ao atrasado: “Cara, já cheguei faz dez minutos!” E ele, com a maior naturalidade do mundo, responde: “Ok, vou entrar no banho então!”. Entrar no banho? Como assim? Primeiro, por que raios ele ainda não tomou banho, sendo que o relógio já está marcando sete horas e ficou combinado que eu passaria para buscá-lo às seis e meia? Segundo, agora que ele está ciente da minha chegada, como tem coragem de lançar um “Vou entrar no banho” sem se sentir minimamente culpado? Culpado, isso mesmo! Porque eu, nas raríssimas vezes em que atraso – geralmente porque quebrei um osso ou tive que fazer massagem cardíaca em alguém -, sinto-me extremamente culpado, e, assim que chego, muito antes do “Como é que você tá?”, peço mil perdões, prometo um livro grátis e, ainda, ensino aquela mágica que nunca havia ensinado a ninguém.

    Já me achei o maior dos trouxas por ser pontual em um mundo cheio de pessoas que combinam de chegar às nove horas e, sem qualquer peso na consciência, só saem de casa às nove e meia. Hoje, porém, considero-me alguém que respeita os outros, e me orgulho de ser assim, o cara que espera porque não acha legal deixar alguém me esperando. E mesmo sabendo que, nesta vida, muito precisarei aguardar por causa da falta de consideração de alguns, continuarei a sair de casa mais cedo e a andar com um livro no carro, para tornar o atraso útil. Aliás, falando em sair mais cedo, agora eu preciso ir, mesmo, pois tenho um compromisso e ouvi dizer que um meteorito pode atingir a Terra logo menos.

    Obs: o atraso das noivas, apesar de aumentar o tempo que terei de esperar para comer os rondellis, não me incomoda.

    Obs2: E daí que o cara é famoso pra carái? Se marcou de começar o show às dez horas, que comece a porra do show às dez horas, não às duas horas, como já vi acontecer. Estrelas não têm fusos horários diferentes, sorry.

    unnamed


    " Todos os nossos conteúdos do site Casal Sem Vergonha são protegidos por copyright, o que significa que nenhum texto pode ser usado sem a permissão expressa dos criadores do site, mesmo citando a fonte. "