Tag: Nathalie

O que você ganha quando aprende a ouvir as pessoas

A geração das selfies, dos tebetês e do Sarahah. Com não está muito habituada a ouvir as pessoas. No máximo, esperamos o outro terminar de falar para, prontamente, emitirmos uma opinião (quando esperamos).


Carta de um gato sobre a humanidade

Nossos servos humanos de fato não fazem ideia do que estão fazendo. Não sabem, em primeiro lugar, que nós não somos obrigados a comer ração seca todos os dias e que nem sempre nossas barrigas estão disponíveis para carinhos.


O seu namoro não existe

No mundo ideal das relações, você espera pouco ou nada, oferece apenas o que pode e recebe apenas o que merece.

No mundo real – bem-vindo à modernidade líquida dos superegos inflados inseguros! -, entretanto, você espera muito ou tudo, oferece apenas oque lhe é exigido pelo contrato tácito dos relacionamentos sérios e recebe apenas o que todo mundo diz que as pessoas devem receber em uma relação, porque, oras, todo mundo diz que é assim, e é assim desde sempre.


O curioso caso da geração que precisa reinventar o amor

Admitamos: a monogamia está agonizando. Os velhos modelos de relacionamento têm provocado riso em muitos – talvez um riso de desespero, tal qual o riso dos brasileiros contentes. 

Até a indústria se apropriou disso. 


4 pensamentos das mulheres que gozam

Orgasmo deveria ser direito fundamental de todas as mulheres. Queria que a constituição determinasse direitinho, preto no branco: nenhuma mulher pode morrer sem gozar. 

Mas não é bem assim na vida real.


Cuidado ao pisar no mundo do outro

Bate na porta. Não vai abrindo de uma vez – arrisca pegar a pessoa desprevenida. Pelada, roncando de perna aberta.

Quando a pessoa abrir – se ela abrir – vê se limpa os pés. Você nunca sabe se o que traz consigo é perfume ou sujeira


Quem ama, não cobra

Ninguém gosta de ser cobrado. Um relacionamento cheio de cobranças está fadado ao fracasso. E se te cobram muito um trabalho, fazê-lo será penoso, mesmo que você adore esse trabalho.

A felicidade precisa de vontade, e a vontade sai correndo quando avista a cobrança em um raio de 100m.


Se tocar é um ato de resistência

Eu tenho amigas que nunca tiveram um orgasmo. Mais de 70% das brasileiras, segundo pesquisou a Folha em 2010,  pasmem, nunca tiveram um orgasmo com seus parceiros.

Tudo bem se você está nessa estatística e nunca teve um orgasmo com o seu parceiro.


Amar dá trabalho

Todo mundo quer o amor, mesmo que não prioritariamente. O que pode uma criatura, perguntou Drummond, entre outras criaturas, senão amar?

A minha geração responderia a essa pergunta ao seu modo debochado e nada poético:


10 coisas para fazer quando se sentir um lixo

Tem dias em que a gente acorda se sentindo um lixo. Não precisa ter motivo: de vez em quando você só quer chorar num quarto escuro – ou, eventualmente, morrer.

Acontece com todo mundo, acho – ou eu é que sou estranha.


A liberdade que te obriga a algo não é liberdade

“Você não é empoderada? Então chupa o meu pau!”

Não fui eu quem ouvi isso – tanto que a integridade física de quem proferiu tal frase permanece incólume. Uma amiga me contou a anedota num bar feio, curiosamente depois de nossa primeira reunião para a criação de um coletivo feminista na cidade.


Somos a soma das pessoas que nos cercam

“Diga-me com quem andas e eu te direi quem és” nunca fez tanto sentido: ficamos parecidos com as pessoas com quem convivemos.

Um processo natural, certamente, e que resulta não da convivência pura e simples, mas da convivência somada à entrega.


Um dia na vida de uma pessoa ansiosa

Por que eu já acordo com essa sensação de sufocamento no peito? Como posso ter um bom dia se nos primeiros segundos da manhã sinto como se o meu coração fosse sair pela boca? Será que essa é mesmo uma sensação física ou eu estou ficando louca? Eu dormi 7 horas ininterruptas, mas me sinto exausta.


Discutir a relação é se importar

Na geração da praticidade e das mensagens instantâneas, “vamos discutir a relação” equivale a “vamos subir a escadaria do Bonfim de joelhos”.

Uma DR é sempre um sacrifício, um mal necessário – desnecessário, pra muita gente – o sinônimo mais óbvio de desgaste emocional.