A dor e a delícia de ser sensível

Sentir é cansativo.
E eu sou uma daquelas tantas pessoas que vivem exaustas psicologicamente porque tudo a sua volta lhes afeta. Daquelas que vêem um morador de rua e passam o dia inteiro pensando nisso. Que se sentem frequentemente culpadas pelo que fizeram, pelo que deixaram de fazer, pelo que deveriam ter feito.

Quem ama cuida

Quem ama leva aspirina e café preto para aliviar a ressaca, ajuda a atravessar a rodovia e aquele momento difícil, segurando firme na mão. Quem ama não larga o outro sozinho no meio de uma crise, de um momento complicado ou de momento algum. Quem ama procura  se manter por perto, ainda que a geografia coloque distante.


Não tenta me completar porque eu tô inteira

Eu já fui pedaços e  até tentei ser metade de alguém, mas não dá certo não. Porque nessa vida a gente só consegue andar firme, se estiver inteiro e seguro para ela. Então me aceite e some seu eu ao meu, mas não pense que eu te quero para ser parte de mim, porque eu hoje me conheço bem, me amo mais e tenho certeza que sou suficiente.


Namore alguém com quem você consiga conversar

Eu li isso em algum momento, como um conselho matrimonial “case-se com alguém com quem você goste de conversar, porque um dia vocês terão apenas isso”. Bem, eu adotei esse conselho para a vida e tenho buscado me relacionar com pessoas cuja conversa seja fácil, cujo papo seja fluído, sem amarras e realmente me faça bem. Em qualquer área do campo afetivo isto é importante, mas num relacionamento, é primordial, afinal, a conversa é sim um grande afrodisíaco.


Não crie expectativas se não pode supri-las

E o conselho de hoje é… é… é… Não crie expectativas se não pode supri-las! Parece algo tão simples e óbvio, né? Parece, ô se parece, porém, após uma rápida conversa com algumas amigas, notei que o mundo está cheio de gente fazendo exatamente o contrário, ou seja, mentindo de um jeito que espalha esperanças onde não há ninguém capaz de supri-las e, consequentemente, distribuindo porções e mais porções de vales-frustração. 


A gente não muda ninguém

Se tem uma coisa que eu aprendi nessa vida, foi onde me meter quando chamado naquele velho cabo de guerra que é o relacionamento alheio. Provavelmente você também já passou pela sinuca de bico de ter que opinar no relacionamento do seu melhor amigo – ou, pior ainda, opinar num relacionamento entre dois amigos seus.


Já que a vida é frágil…

Faz duas semanas que aconteceu o acidente com o Chapecoense. Pessoas que, até o instante do acidente, estavam cheias de planos e vontades. Gente que partiu sem se despedir de família, amigos e animais de estimação. Triste pra caralho, né? Muito. E também uma prova irrefutável do quão frágil é nosso bem mais valioso: a vida.


Paz é quando você se perdoa

A distância entre o que eu sou e o que querem que eu seja é imensa. Tão imensa que nela caberia muita angústia, se eu ainda fosse dada às projeções alheias, mas só o que sinto é uma alegria profunda ter me livrado do peso de precisar corresponder a expectativas que não são minhas.


O sonho dela agora é meu

“Qual é o seu maior sonho?”, perguntei. “Conhecer a aurora boreal”, ela me respondeu. E me mostrou os dentes de um jeitinho que sempre faz florescer um jardim de girassóis em meu interior. Depois disso, comecei a sonhar com a possibilidade de proporcionar um encontro entre ela e a tal da aurora. E só vou sossegar no dia em que conseguir, falo sério.


Pode ser que seus planos deem errado (e vai ser melhor assim)

Em 2012 meus planos incluíam ter um escritório de advocacia e uma coleção de terninhos. Casar na praia, fazer suco detox todas as manhãs e continuar escrevendo sempre que tivesse vontade. Ser realizada, para mim, tinha a ver com ter um corpo bonito, um emprego sério, um relacionamento estável e me manter sóbria na maior parte do tempo.


O amor não é receita de bolo

“Quais atitudes eu devo tomar para mantê-lo sempre interessado em mim?”, “Qual a receita ideal para evitar traições e falta de tesão?”, “Ele mora em um estado e eu em outro, qual é a chance de a nossa relação dar certo?”, “Ele quer ter filhos e eu só desejo cachorros, o que digo para convencê-lo a mudar de ideia?”, “Estou em dúvida entre o ex e o atual, como decidir?”,


O que nunca te contaram sobre o amor e o tempo

Tempo é algo absurdamente relativo. Uma hora parado no trânsito não passa na mesma “velocidade” que uma hora sentado numa mesa de bar jogando conversa fora com os amigos. Quando extrapolamos esse conceito para os relacionamentos podemos assumir que tempo, definitivamente, não é um fator determinante (ou não deveria ser) para se tomar decisões a dois.


Casal Sem Vergonha Responde: Orgasmo, filme pornô e ejaculação precoce

Neste especial tira-dúvidas, respondemos a algumas perguntas dos leitores que podem te ajudar também.


Desacelerar é preciso

Em meio a uma avalanche de conselhos como “keep walking” e “o show não pode parar”, que nos incentivam a permanecer em ininterrupto movimento, percebo que temos nos esquecido da importância de dar um pause geral vez ou outra. Se é que um dia soubemos dela, né?