A dor e a delícia de ser sensível

Sentir é cansativo.
E eu sou uma daquelas tantas pessoas que vivem exaustas psicologicamente porque tudo a sua volta lhes afeta. Daquelas que vêem um morador de rua e passam o dia inteiro pensando nisso. Que se sentem frequentemente culpadas pelo que fizeram, pelo que deixaram de fazer, pelo que deveriam ter feito.

Não crie expectativas se não pode supri-las

E o conselho de hoje é… é… é… Não crie expectativas se não pode supri-las! Parece algo tão simples e óbvio, né? Parece, ô se parece, porém, após uma rápida conversa com algumas amigas, notei que o mundo está cheio de gente fazendo exatamente o contrário, ou seja, mentindo de um jeito que espalha esperanças onde não há ninguém capaz de supri-las e, consequentemente, distribuindo porções e mais porções de vales-frustração. 


Desacelerar é preciso

Em meio a uma avalanche de conselhos como “keep walking” e “o show não pode parar”, que nos incentivam a permanecer em ininterrupto movimento, percebo que temos nos esquecido da importância de dar um pause geral vez ou outra. Se é que um dia soubemos dela, né?


Gostar de alguém não significa abrir mão de nós mesmos

“Relaxa, eu tô aqui e sei que sou ótimo”, “Nossa, mas você é muito difícil”, “Se você não mudar esse jeito, ninguém vai gostar de você”, “Você é uma pessoa horrível, sabia?”, “Tem que dar graças a Deus que eu ainda tô aqui, qualquer outra pessoa já teria desistido”, “Eu tenho nojo de você” e por aí vai.


Convite: Aula ONLINE sobre felicidade nos relacionamentos

Já parou pra pensar: por que, mesmo diante dos novos movimentos de empoderamento feminino, muitas de nós mulheres ainda nos sentimos confusas, cobradas e até mesmo frustradas em relação à nós mesmas, ao nosso papel no mundo e aos nossos relacionamentos?


Você não pode controlar tudo

Uma das melhores coisas que podemos fazer na vida é aceitar nossa imutável falta de controle sobre muitas coisas – a maioria delas, talvez.

Muitas vezes, por maior que seja a nossa vontade de mudar um cenário, não há nada que possamos fazer, infelizmente.


Dê tempo a quem você ama

Essa história de “dar um tempo”, você sabe, costuma ser licença para dar aquela variada. Coisa que se diz quando se quer beijar outras bocas sem correr o risco de perder a boca que se quer beijar pelo resto vida – exceto, é claro, por um tempo.

Bichos de estimação mudam vidas

Sua vida não permanecerá a mesma depois da chegada deles, acredite. Depois que entram em sua casa – seja por insistência da sua namorada, seja por um encontro inesperado promovido pelo acaso -, não dá para se manter indiferente, fingindo que a afirmação “ter bichos faz bem à saúde” é uma mentira. Não dá!


A vida já começou

Todos os momentos que vivi até hoje são um ensaio para a vida que quero ter quando tudo se ajustar. 

Quando eu era adolescente, pensava que esse momento chegaria assim que eu terminasse o ensino médio. Saí da escola e me dei conta de que ainda não era a hora. Ah, eu estava errada, o botão de start só poderá ser apertado quando eu sair de casa.


Pai e mãe: eu não quero a vida que vocês tiveram

Meus pais nunca entenderam o porquê de eu não querer morar na casa deles e ficar na minha cidade já que seria mais fácil. Todo santo telefone que a gente troca é motivo pra eles dizerem que não entendem porque eu passo aperto se lá em casa as coisas seriam melhores. Também reclamam da profissão que eu escolhi, dizem que mexer com internet não traz estabilidade, que eu deveria conseguir um emprego público.


Não espere perder para dar valor

Quer moleza? Senta no pudim. Quem disse que relacionamento bom e saudável não dá trabalho ou estava ao lado de uma mosca morta ou escolheu um parceiro (a) bastante submisso. Iniciar uma corrida desenfreada em busca da metade “perfeita” além de perda de tempo é perda de vida, beijo na boca e abraço apertado.


Para os caras que sumiram da minha vida: meu sincero obrigada

Tem sempre aquele cara que te faz bem, coloca um sorriso no seu rosto, te revira estômago e roupas de cama, mas que apesar da delicia da convivência, entra na sua vida e não fica. Bem, não culpe o moço, não faça vodu e tampouco jogue tinta no carro dele. Guarde essa mágoa novinha em folhas no bolso e leve consigo para olhar mais tarde, antes de dormir e para tentar aprender algo sobre si com ela.


Porque amiga é irmã com brigadeiro

Amiga é parceira de crime, é ombro na tpm, é companhia para  balada ou domingo de chuva. É discussão que se resolve, é calor que sempre emana e é tipo irmã, que apenas nasceu em outra família. Amiga é aquela tem história de vida diferente, ou não, mas que ainda assim compreende completamente a sua.


Para quando o medo chegar

Eu sei que você não vai entender. Não agora. Tem coisas que a gente só entende depois que passam.

E, acredite em mim: passa. Mas até passar parece que não vai passar nunca.

Isso vale como um acalanto despretencioso, mesmo porque autoajuda não funciona e eu não consigo sequer ajudar a mim mesma, para ser franca, mas, em todas as vezes em que senti medo – e não foram poucas – procurei uma leitura que me fizesse sentir um pouco menos desesperada.