Ele não vai largar ninguém por você

Ouvi essa história algumas vezes. “Olha, eu te amo, mas não posso deixá-lo agora, ele precisa de mim”. E ele sempre usava o estado depressivo do namorado, os problemas no trabalho, a tal dependência emocional que o guri tinha dele para me convencer de que era questão de tempo.


Seu príncipe encantado nunca existiu

Príncipes não existem. Até existem, mas passam longe de ser encantados. São humanos, cheios de erros, acertos, belezas e feiuras, como todos nós. Mas deixemos a realeza um pouco de lado e pensemos no nosso cotidiano, não tão real assim.


Já passamos o tempo de fazer joguinhos

Nunca é demais falar sobre respeito. O que não deveríamos fazer com os outros que não gostaríamos que fizessem com a gente ou o que nãdeveríamos fazer com ninguém simplesmente porque não é legal.


Vai lá viver o seu sonho

Apesar de vivermos em um mundo pós-moderno estamos cercados por caretice. De todos os lados, como uma ilha sufocada por convenções. Quando eu bato um papo com os meus amigos, às vezes pergunto sobre o que eles gostariam de ter vivido. Para os rapazes, sempre falo sobre beijar outros rapazes, ou ir além.


Os 20 poucos e muitos anos

Temos os olhos acostumados às telas. Somos rápidos, dinâmicos e começamos a ter responsabilidades cedo. Registramos a vida pelas câmeras cada vez mais modernas dos nossos celulares, que se atualizam todos os anos.


Vai doer a ausência dela

Mas deixa ela ir mesmo assim, deixa ela bater o porta malas do carro, com a mala de roupas mal arrumada dentro. Deixa ela pisar fundo no acelerador e pegar a rodovia com os olhos chorosos, sem fazer um movimento para que ela fique.


Qual a sua contribuição no seu papel de trouxa?

É difícil assumir pra gente mesmo quando não temos os nossos sentimentos correspondidos por alguém. Dá uma sensação horrível de impotência, insuficiência, uma descrença tão grande por mais uma vez não ter sido contemplado com o amor que a saída mais fácil é simplesmente negar a existência da incompatibilidade.


Às vezes não é saudade, é só carência

Sabe aqueles momentos em que você está em casa sozinho sem vontade de sair, fica zapeando o telefone, bate uma carência chata e você resolve abrir seu Whatsapp pra mandar mensagem pro boy lixo? É cilada, Bino!


Há vida fora desta telinha

Se vida fora da Terra? Até acho que sim, mas, por falta de evidências científicas, eu não posso lhe garantir. De uma coisa, porém, eu tenho certeza: existe muita vida – subaproveitada, por sinal – além deste retângulo luminoso em que agora me lê e, com o qual, você anda cada vez mais grudado, como se ele fosse essencial à sua sobrevivência. 


A gente quer é coerência

Acho sempre muito bonito e importante a ideia de reciprocidade, por mais que ache que é um pouco utópica, já que você nunca vai sentir pelo outro a mesma coisa que ele sente por ti e vice-versa. Mas, baseando-me no sentido de que esperamos que as ações do outro sejam recíprocas e não nos façam de trouxa, sinto que falta uma coisinha aí. E não é bem reciprocidade.


A diferença entre liberdade e solidão

“Com quem você foi?”, perguntam-me direto. E após minha resposta mais comum – “sozinho” -, olham-me com pena, como se eu fosse um vira-lata faminto e esquecido num sereno invernal. Mas eu não sou, viu? Que fique bem claro!


30 coisas que uma tia gostaria de dizer para a sobrinha

Ter um sobrinho talvez seja o melhor presente que seus irmãos podem te dar. A troca de amor entre você e um ser que nasceu já sendo seu, te coloca em uma posição de completa devoção para tudo que ele quiser que você faça, compre, brinque, entenda, supere.


Você precisa morar sozinho

Você precisa saber o que é chegar em casa, tirar os calçados num canto e ver seu sofá te esperando. Com seus livros nas estantes, as fotos da turma nos porta retratos e o tapete comprado, na feira do bairro, fazendo par com o abajur de brechó. Cozinhar sua própria comida, pegar sua própria bebida e escolher sozinho o que ver na TV.


Desliga o som do mundo e abre uma garrafa de vinho comigo

Venha, aquiete seu olhar sempre apressado aqui no meu peito.