O amor não é receita de bolo

“Quais atitudes eu devo tomar para mantê-lo sempre interessado em mim?”, “Qual a receita ideal para evitar traições e falta de tesão?”, “Ele mora em um estado e eu em outro, qual é a chance de a nossa relação dar certo?”, “Ele quer ter filhos e eu só desejo cachorros, o que digo para convencê-lo a mudar de ideia?”, “Estou em dúvida entre o ex e o atual, como decidir?”,


O que nunca te contaram sobre o amor e o tempo

Tempo é algo absurdamente relativo. Uma hora parado no trânsito não passa na mesma “velocidade” que uma hora sentado numa mesa de bar jogando conversa fora com os amigos. Quando extrapolamos esse conceito para os relacionamentos podemos assumir que tempo, definitivamente, não é um fator determinante (ou não deveria ser) para se tomar decisões a dois.


Não é relacionamento: o nome disso é prisão

Miga, esse texto é pra você que acha que amor é sinônimo de submissão. Que fecha os olhos para o desrespeito dentro da própria casa, para a voz dois tons acima do que seria normal e para o dedo apontado na cara. Isso não é relacionamento, tampouco chega perto do que deveria ser um sentimento saudável.


Um amor bom não precisa fazer estrondo

Ele não chegou num cavalo branco nem apareceu na porta do meu prédio por engano. Também não teve aquele glamour das apresentações regadas a vinho na casa de amigos ou coisa do tipo. Nada disso. A gente se conheceu num aplicativo de paquera e marcou de comer uma pizza.


Nossa, ele vai se casar de novo!

Um site de fofoca anunciou: “O Fábio Jr. se casará pela sétima vez”. E bastou para começarem a afirmar que ele é sem noção, que a moça (vinte e poucos anos mais nova) só está com ele por causa de dinheiro, que logo o cantor vai se separar de novo etc. Quanta gente falando besteira, não acha? Pois eu acho!


Um amor, sem joguinhos, por favor

Muito antiquada essa coisa de se fazer de difícil. Existe uma diferença enorme entre criar um clima de mistério e certo suspense para apimentar a paquera e ficar de joguinho bobo para ver quem liga para quem primeiro.


Amores tóxicos não me interessam

Aquele amor que te bagunça por dentro, que te faz revirar o mundo de ponta cabeça e esquecer das próprias prioridades. Aquele que te deixa de olhos vermelhos, de humor azedo e de coração ferido. Que te coloca em segundo plano, que não dedica tempo de qualidade, que some sem motivo, que vira o jogo e te deixa carregar sozinho todos os problemas.


Uma louca viagem chamada amor

Muito se engana quem acredita que para se viver até a última gota é preciso tirar a poeira da mala e colocar os pés na estrada. Conhecer lugares diferentes e apreciar novas paisagens é uma delícia, de fato, mas o verdadeiro paraíso, aquele que nunca perde a graça de ser visitado, é ao lado da pessoa que a gente escolheu para caminhar de mãos dadas.


Não tenho tempo para amores vazios

Sinto um calafrio a cada vez que penso em relacionamentos por conveniência.

Não estamos falando de rotina – a rotina que, aliás, é uma delícia, porque a intimidade tem suas recompensas.  O que, afinal, substitui o conforto de ter alguém com quem compartilhar, sem constrangimentos, que você teve dor de barriga numa sala de espera ou se absteve numa reunião de família?


Relacionamentos: você vive ou convive?

Amor é uma daquelas coisas que foram feitas pra gente viver até o talo, sem deixar nem um resquício que seja da semente. Abandonar paradigmas, regras ultrapassadas, padrões enraizados, evoluir a dois.


15 formas de dar adeus à monotonia do seu relacionamento

Todo mundo sabe que o tempo pode ser o mocinho ou o grande vilão de uma relação. Tudo depende da forma como lidamos com a rotina, com o desgaste natural da convivência e, claro, com o comodismo. O mal do século quando falamos de relacionamentos é o tal do “tanto faz”.


4 dicas pra tirar seu relacionamento do óbvio

Encontrar um amor pra chamar de seu é uma das coisas mais gostosas da vida. Mas, nem sempre é fácil manter aquela empolgação do início viva com o passar dos anos. Vem a rotina, vem as contas pra pagar, vem as dificuldades do dia a dia e no meio disso tudo é preciso se esforçar pra manter a magia viva.


Você vai amar de novo

Às vezes as pessoas vão embora, acontece. Pode até existir um culpado, mas na maioria das vezes não é responsabilidade de ninguém. É a vida mesmo que vai se desenrolando e quando se vê estamos nos afastando da travessia original. Não faltou amor, não faltou cuidado, tampouco querer.


Coração não é brinquedo

Cresci ouvindo conselhos como: “Não ligue no dia seguinte”, “Evite demonstrar que você está totalmente na dela” e “Finja que não se importa muito”. Por muitas e muitas vezes tentaram me fazer acreditar que não há relacionamento – curto ou longo – sem joguinhos, dissimulação e um bocado de blefe.