• Não espere até a próxima segunda feira
  • Não espere até a próxima segunda feira


    Em vez de esperar até a próxima segunda-feira, que tal mudar hoje? Por que esperar ano que vem se você pode começar ainda este ano? 

    Chega de “amanhã eu começo” e outras prorrogações que vive a criar porque teme as dores do renascimento. Pare de inventar “poréns” para adiar o dia D e permanecer atolado em zonas de conforto que não estão lhe fazendo bem.

    Para de se enganar. Dê um basta nas desculpas covardes agora mesmo. Pois a mudança pouco depende da data que consta no calendário, do formato lua, do alinhamento dos planetas, da previsão climática… A mudança depende, principalmente, do quanto você deseja que ela ocorra. 

    Se você está realmente disposto a parar de fumar, por exemplo, pouco importa se a sua namorada só vai jogar o cigarro fora no ano que vem e se tem muitos eventos etílicos pela frente. Saca? Se está mesmo decidido a cortar relações com o cilindro cancerígeno, com grana para chiclete de nicotina ou sem, com amigos chaminés ou não, você conseguirá. 

    E daí que todo mundo começa o reeducação alimentar na segunda-feira? Se você sente que a sua alimentação de rock star junkie está lhe causando problemas de saúde, mude-a já, na próxima refeição. O mesmo vale ao seu sedentarismo: se a falta de atividade física tem gerado alterações em seus exames e em seu fôlego, por que esperar um novo mês para dar um start em seu novo eu? Por que nãocomeçar a se mover já, usando a escada em vez do elevador?

    “Agora não é uma boa hora. Eu preciso me sentir preparado. No momento, estou muito estressado, cheio de problemas, com a cabeça longe. E logo a semana de provas chegará. E depois ainda tem o vestibular. E aí virá…”, você afirma. Engana-se, aliás; e assim faz porque não quer deixar o caminho mais fácil, mesmo ciente de que, se não mudar de rota logo, terá sérios problema – bem maiores do que aqueles nos quais se apega como desculpa para não enfrentar o novo. 

    Quer saber? Agora é uma boa hora para se transformar, sim! Agora é sempre a melhor das horas para se reinventar. E mudar nem sempre precisa ser um ato drástico, lembre-se disso. Na maioria das vezes – não em todas, vale ressaltar -, não é necessário trocar todo o vinho pelo suco detox e o sofá macio pelo CrossFit de bambear as pernas: há como fazer transformações graduais, sem cortes definitivos ou insustentáveis por longos períodos. 

    O importante, em minha opinião, é parar de postergar o primeiro passo – que muitas vezes não passa de um ato simbólico – miúdo, contudo, essencial para o início da quebra da inércia. Compreende?

    A verdade é que o cenário nunca lhe parecerá completamente favorável à sua mudança. E sabe por quê? Porque sua mente sempre priorizará o alivio/prazer imediato, e para conseguir convencê-lo a agir em função disso, vai fazer com que se esqueça de todos os benefícios futuros e se concentre, apenas, na satisfação do momento; e então a primeira nuvem preta que pintar no céu lhe parecerá convincente o bastante para desistir da voltar à academia; e um simples “a vida é curta” dito pelo personagem porra-louca da novela bastará para que troque a rúcula por meio bolo de cenoura; e uma notícia a respeito da crise será suficiente para que você pare de procurar um trabalho novo, mesmo odiando aquilo que faz oito horas por dia, cinco dias por semana.

    Se mudar é fácil? Não, não é. Muitas vezes, é dificílimo, se quer mesmo saber. Mas é possível e depende mais de você do que pensa. E digo mais: a mudança que almeja só acontecerá depois que começar a tentar, o que me leva a uma última e importante pergunta: o que está esperando para dar o primeiro passo em direção à transformação que deseja?  

    Por fim, para que pare de deixar tudo na mão da sorte e de outras pessoas, deixo aqui algumas palavras do Emicida: “Você não percebeu que é o único representante dos seus sonhos na face da Terra?”.

    unnamed


    " Todos os nossos conteúdos do site Casal Sem Vergonha são protegidos por copyright, o que significa que nenhum texto pode ser usado sem a permissão expressa dos criadores do site, mesmo citando a fonte. "