• Descobri Que Minha Mãe Trai Meu Padrasto,  Que É Quase Um Pai Pra Mim. Como Agir?
  • Descobri Que Minha Mãe Trai Meu Padrasto,


    Que É Quase Um Pai Pra Mim. Como Agir?


    Este é mais um post da categoria “Se Eu Fosse Você”. Não sabe do que estamos falando? Entenda aqui.

    Hoje trouxemos um caso bem tenso. A nossa leitora descobriu que a mãe está traindo o padrasto com um cara 16 anos mais novo. Como se não bastasse, o padrasto, que sempre foi muito presente na criação da nossa leitora e da irmã dela, está enfrentando problemas de saúde. E aí, o que você faria na situação dela?

    “Estou em um superdilema. Descobri nesse final de semana, através do Facebook, que minha mãe está traindo meu padastro com um rapaz 16 anos mais novo que ela. Entendam antes de qualquer julgamento: a idade do rapaz não me incomoda. O que me incomoda é a falta de lealdade da minha mãe com o meu padrasto, pois ele criou eu e minha irmã desde que eu tinha 10 anos (atualmente tenho 22) e minha mãe havia se separado do meu pai sendo deixada com uma mão na frente e outra atrás. Desde então ele tem sido nosso pai e tem feito o possível e o impossível para nos criar da melhor forma, arcando com as despesas do colégio e até hoje com as nossas faculdades.

    Estou muito irritada com a minha mãe, principalmente porque meu padrasto está com problemas de saúde, e acho que essa seria a hora que ela deveria apoiá-lo mais ainda. Caramba, ela não esteve com ele até agora? Por que justamente agora, que ele precisa mais dela, ela apronta uma dessas? E outra a pessoa com quem ela está saindo é tio de uma amiga minha, ela conhece toda família e o viu praticamente criança. Essa pessoa é um homem sem futuro, desses que passam o dia inteiro na porta de um bar, não procura estudar ou fazer qualquer outra coisa melhor da vida.

    Sempre fui muito amiga da minha mãe, contava tudo para ela, mas, sinceramente, estou profundamente magoada pelas atitudes dela com meu padrasto. Não consigo mais conversar com ela direito, troco três palavras por telefone para não falar mais do que eu devia, pois apesar de saber que ela está errada, sei que lhe devo respeito por ela ser minha mãe. O que faço? Gostaria de opiniões para conduzir esse dilema sem machucar muito alguém.”

    Difícil, não? E aí, o que você aconselharia para ajudá-la? Deixe sua opinião nos comentários, que na semana que vem escolheremos a melhor resposta de acordo com a equipe CSV!

    Confira aqui a resposta escolhida:

    Se você tem dúvidas, problemas, questões ou desabafos e gostaria de participar da seção, mande um e-mail com o assunto “Se eu fosse você” para [email protected]br. Explique brevemente seu problema. Seu e-mail pode ser anônimo, e a gente te avisa quando sua pergunta for ao ar!