• Meu Namorado Passa A Maior Parte  do Tempo Chapado. O Que Fazer?
  • Meu Namorado Passa A Maior Parte


    do Tempo Chapado. O Que Fazer?


    Esse é um espaço para tirar todas aquelas dúvidas sobre sexo que você sempre quis saber, mas não tinha pra quem perguntar. Mande email para [email protected] com o assunto Tira-dúvidas.

    Casal,

    Meu namorado usa drogas e álcool. Estamos juntos há 10 meses, e ele tem períodos de sobriedade, mas volta a ficar “super chapado” de novo, ou beber. A situação já começa a se tornar insustentável para mim. O problema é que quando tento acabar, ele fica desesperado, e é extremamente possessivo, faz chantagem, xinga, diz que me ama, etc, faz altos dramas. O que fazer?

    Leitora Anônima

    Querida leitora anônima,

    A gente não costuma ser muito extremista nas respostas dos tira-dúvidas mas acho que seu caso pede uma resposta direta sim: termine com ele. Esse tipo de problema vai muito além do que você pode fazer para manter um relacionamento feliz. O problema aí é pessoal dele, e ele precisa resolver essa questão das drogas e do álcool primeiro antes de te envolver na vida dele.

    Esse tipo de caso sempre começa desse jeito: o sujeito fica chapado mas depois fica sóbrio, pede desculpas, diz que ama, pra fazer tudo de novo no dia seguinte. Quando a pessoa fica agressiva, como é o caso do seu namorado, fica pior ainda porque a agressividade tende a aumentar gradativamente até chegar num nível de agressões físicas e ameaças.

    Nem sempre é tão fácil aceitar isso. Às vezes nos sentimos impotentes e frustrados diante um problema na vida de alguém que amamos, mas, ao notarmos os primeiros sinais de que a pessoa não está pronta para ouvir o que temos a dizer, precisamos assumir que o melhor que podemos fazer é nos afastar e deixar que o outro resolva suas questões primeiro. Não se trata de desamparo, mas sim de não se sentir mais responsável pela cura de um problema que não compete a você, cuja mudança não está ao seu alcance. Ao mesmo tempo em que deixa espaço livre para que o outro lide com seus fantasmas sozinho ao olhar para dentro (ou que até mesmo procure ajuda profissional se for preciso), você se afasta de algo que te atrasa, que te retém, que suga sua energia. Amor não resiste a tudo, amor se vai com erva daninha como qualquer outro sentimento bom.

    Se, depois de um tempo e curado das suas questões pessoais, ele voltar a se aproximar de você, então é outra história. Aí então vocês poderão iniciar uma relação de troca, em vez de dependência emocional. Conseguirão viver na igualdade sem que um seja o culpado e o outro a vítima.

    Boa sorte!