• Não Cuspa No Prato – Ele Já Foi Seu
  • Não Cuspa No Prato – Ele Já Foi Seu


    por Gustavo Sana

    Pode parecer masoquismo, mas seja grato pelas relações vividas nas quais você quebrou a cara. Não se trata de recalque, mas de aprendizado e respeito ao momento que você viveu.

    Tem gente que cria rancor e sai gritando aos ares, cuspindo no prato que comeu.. Por outro lado, tem gente que aprende, que trata a dor como um processo de cicatrização e que enxerga a cicatriz como motivo de superação e despertar de uma força interior até então desconhecida.

    Mas cicatrizar uma experiência não é ficar vendo clipe de descornado sertanejo ou fazendo pose de Beyoncé mostrando que agora você  já superou a relação, mesmo estando literalmente acabado por dentro. Pois se fizer, sabe o que acaba acontecendo? Você faz merda, depois se arrepende e procura nos outros uma ajuda para seus problemas.

    Aí é que está o erro. O que você viveu é uma experiência emocional somente sua. Você aprendeu e vai seguir aprendendo na marra a cada dia. A vida é cheia de cicatrizes abstratas, muitas vezes não percebemos, mas elas estão por aí nos ensinando. Ninguém é dono da verdade. O sentimento é intrínseco e particular em cada um. Somente você conhece seus sentimentos por completo e do que necessita para supri-los. Por isso, essa dor que age em silencio dentro de cada um deve ser ouvida, mas para isso cada um precisa estar disposto a fazê-lo.

    A cicatrização, no sentido literal da palavra, para ser completa, exige tempo. Além disso, exige que a pessoa se cuide sem expor a ferida a qualquer situação ou indivíduo.  Partir para outra é uma tarefa fácil na teoria, porém muito difícil na prática. Fique em silêncio, pois as respostas sempre vêem com o tempo.

    Não fale mal de ex ou de qualquer relação que teve, muito menos fique dizendo “como eu pude me relacionar com esse alguém?!” Isso é recalque e desrespeito à sua própria pessoa. Afinal enquanto você viveu, foi feliz. Ou se não, estava lá porque queria, já que ninguém te obrigou.

    Vejo na rua as defesas comuns de cada um: a mulher diz que todo homem é igual e não presta. Já o homem diz que mulher santa está voando. Se fosse verdade, ninguém pegava ninguém e ficava dentro de casa vendo filme ou lendo a Bíblia. A verdade é que falamos pela boca, mas agimos através do corpo, do toque, do cheiro e dos outros sentidos. Isso é inato do ser humano.Um dia você é caça, no outro caçador.

    A questão crucial aqui é saber dosar razão com emoção. Viver só de razão, no passo certinho, não tem graça, uma hora cansa. Viver de emoção pode ser intenso, mas gera riscos que desgastam ao longo do tempo. Saber estar em equilíbrio é algo que somente essas experiências de vida irão colocar em prova.

    Portanto, nunca generalize as pessoas pelo que você viveu com alguém em particular. O que você viveu serve de parâmetro somente para selecionar o que quer para sua vida ao invés de ficar criando jargões como toda a sociedade..

    Procure a unicidade e siga a intuição – ela não falha, mas funciona somente quando a mente está livre de qualquer mal. Agradeça pela dor em silêncio que te ensina a crescer com mais força. Estar sozinho, por muitas vezes, é mais do que necessário para ouvir a voz que tanto procuramos por aí. Resignar a si mesmo, cuidar de si antes de estar com alguém novamente. Isso não é egoísmo, nem narcisismo. É questão de respeito a si próprio e a seus sentimentos que moram dentro de você.

    Fonte Imagem Principal