• Homem que Chora é  Homem de Verdade
  • Homem que Chora é Homem de Verdade


    Outro dia ouvi uma amiga comentar que estava um pouco irritada com seu namorado. O amava e tudo mas, volta e meia, sua sensibilidade “extrema” a deixava incomodada. “Queria que ele fosse mais macho de vez em quando, sabe? Que fizesse mais coisas de homem. Sinto uma invejinha da mulher que reclama que seu homem gosta muito de futebol, que tem o guarda-roupa zoneado, que usa a mesma faca pra margarina e pra geléia.”

    A definição de “extrema sensibilidade” que ouvi me deixou confusa quanto às características do tal homem sensível. Porque a minha definição de sensibilidade parecia não se encaixar como a oposta do sujeito “machão”. Por exemplo, um cara que tem o guarda-roupa mais organizado que o meu, não entraria na minha definição de sensível. Talvez super organizado, ou metódico – mas não sensível. Não gostar de futebol também não me parece coisa de homem com sensibilidade. Na verdade, acredito que há em algum lugar, alguma sensibilidade oculta naqueles que vibram tanto por um monte de homens correndo atrás de uma bola. Tem que haver uma sensibilidade escondida na emoção da torcida, na vibração do gol, em cada derrota sofrida – sensibilidade essa que o meu ser não consegue perceber sem esforço (será que sou insensível?). Agora, consigo identificar um certo grau de sensibilidade na história da mesma faca para a margarina e para a geléia – mesmo que mínima. Um cara que percebe que realmente é desagradável a sensação de abrir margarina e ver uma mancha vermelha não identificada no meio, tem que ter um pouco de sensibilidade a mais. Valorizável. No entanto, acho que essa ainda não é a chave. O homem sensível de verdade enxerga muito além da margarina manchada.

    O homem sensível é aquele que te olha no olho e já percebe que tem alguma coisa errada. Você não precisa necessariamente chorar ou fazer cara feia para que ele perceba. Muito provavelmente ele não irá identificar qual o problema de cara – afinal isso exige uma sensibilidade quase extraterrestre, principalmente se tratando de homens – mas ele irá perceber que o brilho no seu olho anda um pouco opaco.

    O homem sensível não apenas te escuta, te ouve. E ele ouve porque sabe que nessa vida, muito melhor do que falar de si mesmo, é ouvir as pessoas. Porque de suas experiências, você já sabe mas, cada indivíduo que trombamos no caminho tem algo a ensinar. E o homem sensível se interessa de verdade, pergunta, tenta entender, questiona. Fala de si também, é claro, mas só quando conveniente – ele sabe mesmo que temos muito mais a aprender, do que a ensinar.

    O homem sensível de verdade, gosta de animais, principalmente de cachorros. Provavelmente muitos irão discordar e dizer que isso não tem nada a ver com sensibilidade – você pode, por exemplo, não gostar de cachorro porque não gosta do cheiro deles, dos latidos e nem das patas sujas caminhando pela casa. Mas o homem sensível de verdade enxerga muito além das patinhas e do rabo abanando. O homem sensível reconhece que os cachorros têm uma outra forma de amor para ensinar. Ele reconhece que eles são muitos superiores a nós em sabedoria quando percebe que para eles não existe rancor, nem mal-humor, nem indisposição, nem maldade. Ele enxerga que, na falta da fala, eles se comunicam conosco pela energia e pelo olhar. E pra reconhecer isso, tem que ter sensibilidade.

    O homem sensível de verdade te chama de gostosa, porque realmente te acha gostosa, no sentido mais verdadeiro da palavra. É claro que estou falando daqueles com qual já possui intimidade pois, um homem sensível, não vai chamar uma mulher que não conhece de gostosa. Primeiro, porque ele a enxerga como ser humano e não quer correr o risco de ofendê-la ou passar uma impressão errada. Segundo, porque ele vê a gostosura muito além de decotes e micro-saias. Ele sabe que a mulher gostosa de verdade é aquela em que você toca, e não tem mais vontade de se afastar. A textura da pele, a firmeza dos membros, as curvas escondidas e improváveis, o cheiro natural do corpo – essas coisas dizem muito mais sobre gostosura do que uma simples bunda marcada na calça.

    O homem sensível te dá flores – mas somente se sabe que você gosta delas. Caso contrário, ele te dará algo que sabe que significa mais. Nem que seja aquele seu chocolate preferido, ou um sapato igual àquele que você tanto gostava mas que parou de usar por estar com a fivela quebrada. Ele não tem medo de arriscar porque te observa, fica atento aos detalhes. Sabe que esse caminho é mais complicado, mas sabe também que um presente à medida faz toda a diferença.

    O homem sensível não vai reparar se a cor do esmalte da sua unha é mais bonita nessa semana do que na semana passada. O homem sensível de verdade vai reparar nas suas mãos. Na maciez, em como elas se movimentam, em como elas pegam. Ele não vai te achar desleixada naqueles dias em que você não fez a unha – pelo contrário, vai até achar interessante ver os seus dedos naturais, sem intervenção das cores.

    O homem sensível provavelmente não vai se emocionar com aquela cena improvável do mocinho e da mocinha do filme de comédia romântica, mas vai sentir o olho lacrimejar quando escutar uma história de vida foda. O homem sensível pode ficar ao seu lado se mostrando firme naquele momento em que você mais precisa, mas pode se emocionar posteriormente ao relatar como aquela fase foi difícil. O homem sensível pode não ser tocado pelo fim da novela, mas pode chorar por te ver chorar em meio a uma discussão.

    O homem sensível vê além da divisão entre coisas de homem e coisas de mulher. Mesmo que não goste tanto, ele não vai hesitar em pegar uma tábua e te ajudar a cortar as cebolas pro almoço. Nem em lavar a louça enquanto cozinha pois sabe que, entre as duas, essa é a tarefa que ele melhor sabe executar. E faz isso, principalmente, por que não quer vê-la sobrecarregada – prefere vê-la tomando uma cervejinha e se divertindo do que cortando um balde de cebolas sozinha.

    O homem sensível não vai querer chamar pra briga aquele cara que te chamou de “Delícia” na balada, mas vai te ensinar que não existe sensação segurança maior do que ter um par de braços grandes te envolvendo em um momento que você está triste.

    O homem sensível pode não reparar que você cortou aqueles 3 dedos de cabelo, mas vai reparar em como fica charmosa quando você faz aquele coque bagunçado quando está com pressa, que deixa uns fios caindo no rosto. E em como você fica encantadora nas vezes em que, incansavelmente, tenta manter os fios teimosos para trás.

    O homem sensível tem muitas amigas mulheres, porque admira o gênero feminino. Isso não se significa que queira ficar com todas, significa que gosta do jeito delas, tem interesse na vida delas e nos assuntos delas – tão diferentes dos masculinos (que, diga-se de passagem, giram uma boa parte do tempo em torno dos pilares de futebol, carro, mulher ou zoação). É aquele que, desde pequeno, tinha amigas mulheres porque achava chato ter que conversar o tempo todo sobre video game.

    Tem muita gente que pode ter chego até esse ponto do texto achando que eu estou descrevendo ou um homossexual ou um homem muito afeminado. Pura ilusão. Tem muito gay que não tem nem 10% das características acima, pelo simples fato que, sensibilidade não tem nada a ver com sexo e sim com pessoas. E nem com feminilidade – aquele cara que de fora parece o Ogro Pai, pode ser o mais sensível que você já conheceu. E pensando por esse ponto de vista, difícil entender porque algumas mulheres insistem em preferir os “machões”. Talvez os conceitos de sensibilidade X feminilidade ainda não estejam completamente definidos. Respeitemos a escolha das que preferem os macho-alfas, pois, como já dizia a poeta “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”. Mas, assumo que consigo compreender muito mais as outras – afinal, é preciso ser sensível para reconhecer e admirar a sensibilidade alheia.

      Para fins de direitos autorais de imagem declaro que as fotos usadas acima não são de minha autoria e que os autores não foram identificados.